ARREP recebe visita da Orquestra Sinfônica

11/05/2016 14:34

Dona Maria da Luiz Oliveira, moradora do bairro Bonsucesso, completa 72 anos de vida nesta terça-feira (10). Ela é separadora de material reciclável na Associação de Recicladores Rei do Pet, um dos grupos incubados no projeto “Fortalecimento da Economia Solidária nos Campos Gerais”, patrocinado pela Petrobras, executado pela Incubadora de Empreendimentos Solidários da Universidade Estadual de Ponta Grossa – IESol/UEPG. Os parabéns pelo aniversário vieram antecipados, na sexta-feira (6), ao som do quinteto de sopro da Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa (OSPG). Algo inimaginável para a senhorinha franzina que, diariamente, vai e volta do trabalho a pé.

O inusitado parabéns para Dona Maria ocorreu graças ao projeto “Curta sua Orquestra”, da OSPG, que desde 2015 leva música de qualidade aos cidadãos ponta-grossenses. “O projeto visa à acessibilidade musical a todos”, diz o regente Jorge Scheffer, comentando que a ideia é levar a música até as pessoas, para que elas conheçam o funcionamento de uma orquestra, a partir das suas famílias de instrumentos. No primeiro ano do projeto, foram visitadas 12 entidades, atingindo três mil pessoas.

A apresentação do quinteto de sopro na Associação Rei do Pet abriu a segunda temporada do “Curta sua Orquestra”. Na apresentação aos recicladores, Jorge Scheffer mostrou todo o seu entusiasmo pelo projeto. Não se furtou a explicar em detalhes, e didaticamente, o funcionamento de cada um dos cinco instrumentos de sopro que compõem a orquestra. “A receptividade das pessoas nos revela a necessidade de consumo de cultura de todas as vertentes”, disse.

Scheffer explica para os trabalhadores de reciclável que uma orquestra é formada por quatro famílias de instrumentos – cordas, sopro, metais e percussão. “O quinteto de sopro que trazemos aqui hoje, é uma fatia da nossa orquestra”, disse prometendo voltar ao barracão do Rei do Pet para apresentar os demais componentes dessa grande família instrumental. A cada intervalo de música, um instrumento vai à frene. Duas versões do trompete (pistão); depois a trompa, o trombone de vara; e a tuba.

Para encerrar a apresentação, os recicladores puderam manusear alguns instrumentos. Pacientemente, os músicos explicaram o funcionamento de cada um, satisfazendo em detalhes a curiosidade de pessoas que nunca na vida imaginaram ter um trompete de vara, um pistão ou uma tuba nas mãos. Poucos tiveram a coragem de soprar o instrumento.

Ainda acanhada, Verônica Melak, 48 anos, classificou o momento como “maravilhoso”. Disse que já havia assistido a uma apresentação da orquestra no Terminal Central de Transporte Coletivo. “Mas não de tão perto”. Se não fosse dessa forma, acredita que jamais teria oportunidade igual. Para ela, ir ao teatro é algo fora da realidade.

Uma das mais contentes, sem dúvida era a aniversariante do dia. Dona Maria de Lurdes se disse emocionada. “Comoveu os nossos corações”. Ela nunca havia assistido a algo parecido. “É oportunidade para quem fica o dia todo aqui, em pé, separando o material reciclável. Um momento para descansar e ouvir essa música maravilhosa, sentada”, disse a trabalhadora de 72 anos.

Texto: Assessoria UEPG

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!